why_am_i_seee280a6his_post_v3

O Facebook agora mostrará exatamente como nos persegue

Já suspeitou que o Facebook está ouvindo você? Então se prepare para algo ainda mais assustador.

O Facebook está nos dando uma nova maneira de vislumbrar o quanto ele sabe sobre nós. A rede social disponibilizou para seus 2 bilhões de membros uma ferramenta chamada “Off-Facebook Activity” (Atividade fora do Facebook, tradução livre). A ferramenta mostra que os aplicativos do Facebook, Instagram e Messenger não precisam de um microfone para segmentá-lo com anúncios e postagens assustadoramente assertivas – eles estão te acompanhando de inúmeras outras maneiras.

Mesmo com o Facebook fechado no seu telefone, a rede social é notificada quando usamos outros aplicativos com o pixel (rastreador do Facebook) instalado. Sabe também quando lemos matérias com inclinações políticas, que conteúdos consumimos e até mesmo quais receitas culinárias temos acessado recentemente. Ele sabe que você quer parar de comer carne antes da sua mãe! E sabe quando clicamos no carrinho de compras de quase todas as lojas virtuais. O Facebook usa todas essas informações de nossas vidas para classificar quais mensagens e marketing serão entregues pelas empresas e políticos à você.

Imagem recortada da página oficial do Facebook que apresenta a ferramenta (facebook.com/off-facebook-activity)

Você pode ver como o Facebook está perseguindo você pela internet. O rastreador “Atividade fora do Facebook” mostrará 180 dias de dados que o Facebook coleta sobre você. Esta página, escondida atrás de muitos menus de configurações (aqui está um link direto), é o produto de uma promessa que o CEO, Mark Zuckerberg, fez durante o auge do escândalo da Cambridge Analytica em 2018 para fornecer maneiras de “limpar a história” em nossas contas e, assim, evitar o rastreamento.

A nova ferramenta do Facebook não é como um botão “limpar histórico” como no seu navegador, mas, juntamente com a transparência, oferece uma maneira de desvincular parte de sua vigilância da sua conta do Facebook. Veja a imagem abaixo, a quantidade de informações computadas sobre você, assustador né?

Você pode estar chocado ou pelo menos um pouco envergonhado com o que você encontrar lá, mas a grande verdade é que esta ferramenta não muda nada para você, apenas mostra o quanto somos vigiados e monitorados. Inclusive nós da CheckStore (imagem abaixo) e muito provavelmente o seu negócio digital está usufruindo dos dados coletados pelo Facebook para criar campanhas mais assertivas.

Captura-de-Tela-2018-12-03-às-21.22.30-

Quais dados as grandes da tecnologia coletam de você?

Se você já se perguntou “O que o Google sabe sobre mim?” saiba que a resposta é bem desagradável. Além de saber quais anúncios você clica, quais sites você navega, mais e-mails você troca, quais locais você frequenta, entre outras coisas, outro gigantes da tecnologia também coletam e processam informações sensíveis da sua privacidade para fins de publicidade, personalização e outros objetivos desconhecidos.

O infográfico criado pela Security Baron revela quais dados as empresas admitem estar coletando de você:

whatsapp-catalog

WhatsApp apresenta funcionalidades de comércio eletrônico

Durante o F8, evento que apresenta as novidades da família Facebook, o CEO da companhia Mark Zuckerberg anunciou novas funcionalidades de comércio eletrônico para o WhatsApp.

O app vai liberar no próximos meses uma funcionalidade que permite lojas e empresas que utilizam o WhatsApp Business a apresentar seu catálogo de produtos e serviços diretamente no app através de uma interface padronizada.

Muito provável que esta funcionalidade seja fornecida a partir do Facebook Business, que compartilha o catálogo de produtos com a conta empresarial do Instagram e também a página do Facebook da empresa.

“Em um ano, milhões de pequenos negócios usam o WhatsApp Business para se comunicar com os seus clientes. Agora, estamos lançando uma nova ferramenta, Catálogo de Produtos. Você conseguirá ver facilmente o que está disponível de cada empresa”, afirmou o fundador do Facebook.

“Isso será especialmente importante para todos os negócios que não têm presença na internet [site próprio, por exemplo] e que estão aumentando o uso de plataformas de uso privado para interagir com seus clientes”, concluiu.

Pagamentos

Além do catálogo, foi apresentado também uma solução de pagamentos que está em desenvolvimento muito parecida com o que é oferecida no WeChat, concorrente com forte presença na Ásia. No exemplo apresentado no evento, é possível ver uma conversa onde o consumidor solicita um produto e o lojista envia uma solicitação de pagamento.

Esta funcionalidade está sendo testada na Índia entre usuários do WhatsApp e o feedback tem sido muito positivo. A solução não tem nada de inovadora, pois os concorrentes do app já operam com funcionalidades muito mais amplas e validadas e outros mercados.

O que muda ?

O comércio eletrônico por aplicativos de mensagens e redes sociais já acontece há diversos anos. As plataformas se adaptam lentamente para tentar capturar o valor gerado por essas transações ao limitar a inclusão livre de fornecedores e controlar as interações.

O meio de pagamento provavelmente cobrará taxas dos vendedores e facilitará as transações que acontecem naturalmente nas plataformas. Exemplo disso é o Instagram e o WhatsApp (ambos pertencentes ao Facebook) se transformando em marketplace para monetizar a partir da sua base de usuários sem depender exclusivamente de anúncios.

Para os lojistas, só resta aguardar que as funcionalidades cheguem por aqui e que as integrações colaborem com a eficiência operacional.